FORTALEZA
BUSCA POR SERVIÇOS
Ver todos

COLUNISTAS >

Neoplasia em Gatos – Mitos e Verdades

A Neoplasia em gatos, ou o câncer, é uma doença que está cada vez mais presente na rotina clínica e acomete principalmente os gatinhos idosos. Tire as suas dúvidas e desvende alguns mitos para cuidar da saúde do seu amigo!

Por - 12 de agosto de 2015

Caros leitores, é com grande satisfação que estreio nos Focinhos Urbanos, e já vou lhes trazendo uma informação importante, na verdade um alerta a todos que amam seus bichanos queridos: o câncer está cada vez mais presente na clínica de felinos.

A neoplasia, ou câncer, é considerada toda multiplicação descontrolada de células do próprio organismo, com tendência à perpetuação, ou seja, as células se modificam, se mutam, e tornam-se "independentes” do resto do organismo, causando desestruturação e danos potencialmente nocivos e incompatíveis à vida na maioria dos casos. Embora alguns tumores podem ser considerados benignos, quando possuem um crescimento lento, são localizados e delimitados por cápsulas e sem características proliferativas, a grande maioria são de caráter maligno, com grande potencial de invasão em tecidos “nobres”, como pulmões, cérebro, fígado e rins.

neoplasia-em-gatos-focinhos-urbanos

Não sabe-se o verdadeiro porquê do aumento da frequência de tumores em pequenos animais: seria o preço da domesticação? Alimentação? Contato com o ser-humano e sua vida ‘moderna”? Assimilação de hábitos? Estresse? “Fumantes” passivos? Ou simplesmente por estarem vivendo mais? Ou também por ter aumentado a possibilidade de diagnóstico por nós, médicos veterinários?

Difícil ter a certeza, provavelmente por todos esses fatores. Entretanto, o mais importante é conseguirmos prevenir ou diagnosticá-las o mais cedo possível. A prevenção não é fácil, nem em humanos é, principalmente pela gama de variáveis implicadas dentro de cada tipo de câncer. A exceção é o uso de anticoncepcionais, que favorece o surgimento de tumores de mamas em gatas e cadelas, um hábito que já deveria ter sido extinto. Assim, chamo-lhes a atenção para a possibilidade do tratamento precoce, o que possibilita até a cura em alguns casos. Essa chance de cura é aumentada com o diagnóstico cedo da neoplasia, o que é alcançado com exames periódicos no seu amigo felino, principalmente exames laboratoriais e de imagem, como a ultrassonografia e radiografia.

É importante salientar que os gatos tendem a “esconder” os sinais quando estão enfermos, só demonstrando alterações perceptíveis quando o quadro já está bem avançado. Gatos geriátricos, ou seja, a partir de 8 anos de idade, devem ser consultados a cada 6 meses, com o acompanhamento de exames. E para nós, veterinários, cabe a responsabilidade de não se hesitar em fazer uma biópsia, mesmo que seja um procedimento invasivo.

 

SOBRE O COLUNISTA

dr-reginaldo

Formado pela UECE, com mestrado em Ciências Veterinárias pela mesma Universidade e Pós- Graduação em Clínica e Cirurgia de Felinos pela Universidade Castelo Branco- RJ. Coordenador científico da Equalis, cirurgião da Unidade Hospitalar Veterinária - UECE e Clínico e Cirurgião da Clínica Catus - Medicina Felina.

Ver todas as suas publicações

 

COMENTÁRIOS

FOCINHOS NAS REDES

Copyright 2017 - Todos os direitos reservados à focinhosurbanos.com.br